shot (kalash) wrote,
shot
kalash

  • Music:

Al-Magrib 18 Fev. a 8 Abril

Como se lia no meu ultimo tópico..

" a ideia é ficar cerca de um mês, girar parte do país[Marrocos], acabar num festival de musica a meio de Março, mas depende da piada que achar ao país e se me fartar volto antes do planeado."

Não fiquei um mês, fiquei quase dois, e só regressei porque tinha dois eventos para organizar de BTT e tinha que respeitar as responsabilidades assumidas.

Ainda me lembro de estar na dúvida entre o ir e não ir, especialmente quando o Pedro recebeu uma oferta de trabalho que acabou por aceitar o que significava que eu teria de ir sozinho. Entretanto comecei a receber propostas de emprego e tive que tomar outra decisão dificil. Mas tomei, e juro que por melhor que fossem as oportunidades, esta experiência foi priceless, por isso "Fuck it!".

Fiquei super contente comigo por ter conseguido tomar esta decisão. Mais contente ainda quando regressei a Portugal e reflecti com calma sobre tudo o que se tinha passado. Compreendi ainda melhor, quando muita gente diz que muitas vezes a mais dificil decisão é o primeiro passo. E que esse primeiro passo pode de facto implicar acontecer algo de muito bom, ou não acontecer absolutamente nada.

Lembrei-me quando me disseram algumas vezes: "ao longo da tua vida vais-te arrepender mais das coisas que não fizeste, daquelas que fizeste" e que agora me faz todo o sentido.

Fiz dezenas de amizades nestes dois meses, conheci e absorvi uma cultura completamente diferente, mas que ao mesmo tempo, no fundo cheguei à conclusão que não passam de pessoas como nós, com as mesmas preocupações, com os mesmos desafios, com os mesmos sentimentos, os mesmos gostos. Que os fundamentalistas são uma percentagem muito muito pequena, e que dentro deles os radicais ainda são menos. (PS: Até que nem conheci ninguém que tenha mostrado qualquer hostilidade..o que não me surpreendeu, no entanto.)

Em termos pessoais foi uma experiência absolutamente enriquecedora. Testou-me em inumeras situações e fiquei super contente com as minhas reacções. Foi a primeira Backpack a solo e adorei! Tudo o que tinha discutido centenas de vezes com viajantes com altos CV's, aconteceu.

Nunca pensei, especialmente em Marrocos andar à boleia. Já o tinha feito em PT por vezes, até na passagem de ano, de Albufeira para Armação, ou de Viana do Castelo para Braga em 2008, ou em pequenas ocasiões. Em Marrocos tinha falado com imensa gente que o tinha feito, mas também com bastante gente renitente e outros que não o fariam de certeza, por razões de segurança, etc etc etc.

Fiz quando teve que ser, correu super bem, adorei a experiência, repeti, repeti e repeti e viciei-me, e já o fazia só pelo gozo, e não apenas por poupar trocos ou porque tinha que esperar 'x' horas por um transporte. Fiz entre 15 a 20 boleias por todo o país, desde motas a carros, a jipes, a 4x4, carrinhas de caixa fechada, caixa aberta, no topo de camiões de terra, de pedra, de cimento, muitas vezes sozinho, outras vezes acompanhado, por alemãs, por italianos, por marroquinos..mais de 500kms.

Corri o pais de Norte a Sul, de Este a Oeste, de Marrakesh a Erg Chebbi(Merzouga), de Tetouan a Erg chigaga(M'hamid), penso ter feito entre 2 a 3000kms pelo menos, mas nas calmas, senti-me sobretudo realizado porque adaptei-me à realidade daquele país, ao ritmo do dia-a-dia, deixei-me contagiar - "machi mouchkil" que em darija seria "no problem". Quando quis ficar mais um dia porque estava a gostar ficava, quando queria ir, ía - apesar de que muitas vezes tenha sido a muito custo - especialmente quando criei laços fortes com outras pessoas, mas ao mesmo tempo queremos seguir viagem, e isso aconteceu-me muito frequentemente.

Com o Zou, o Zaid e o Houssam com quem fiquei mais de 7 noites em suas casas em Marrakesh como se estivesse na minha, com o Houcine no Vale de Bougoumez onde fiz alguns dos trekkings mais impressionantes num vale a 3000m, em Zagora com o Kassou e o Sharaf por duas alturas diferentes, a segunda em M'hamid aquando do "Festival des Nomads", com duas das raparigas mais divertidas que já conheci e que viajaram comigo durante 5 dias, a Stephi e a Anna, com o Ahmad e a sua familia super querida em Kella M'Gouna que nos acolheram por dois dias, com o Binhadi (que embora não o saiba abriu-me os olhos para uma série de coisas e deu-me contactos de famlias com quem ficar nos dias seguintes) e o Yedir, o primeiro muçulmano gay que conheci em Boumaine Dades e que me diverti para caraças com o seu sotaque americano perfeito, com um dos gajos mais divertidos durante toda a estadia, o Rachid! com quem fiquei em Tighassaline 3 dias e que reencontrei em Fez passado uma semana, ou com o Nabil o Adil e o Afouan em Méknes, entre muitos, muitos outros que fizeram com que a minha viagem em Marrocos fosse inesquécivel e uma das melhores lições de vida que já tive.

Conheci a verdadeira hospitalidade Marroquina que tanto ouvi falar, e não foi nos Riad's, nem nos Hoteis. Foi a caminhar pelas ruas, quando a pedir indicações, me convidavam para as suas casas, para beber um chá de menta, uma refeição e/ou a convidarem-me a pernoitar. A comer a mesma comida que eles, desde deliciosos Tajine's a inesqueciveis Couscous, desde Arábes a Berberes, Touareg's ou Nomadas.

E quanto mais viajo mais noto que as pessoas são iguais em todo o lado.



Deixo algumas imagens do 1º mês, o albúm todo podem encontrar em : http://picasaweb.google.com/108340633193164598359/Marrocos2010# o 2º mês fica para depois ;p

Na 'minha' casa em Marrakesh, onde passei quase 8 dias ao todo, Zaid, Hicham, Zou e Houssam.


Na mágica Jemma el-Fna, Marrakesh.


Depois de visitar o Jardim Majorelle, apanhamos uma chuvada do caraças. Só paramos numa tenda onde se serviam almoços :-) com o Kevin, o Zack e a Veronica.




Das melhores sopas que já provei, a famosa Harira na Jemma el Fna






Cascade d'Ouzoud


Quando saio da camioneta no cruzamento para a Cascade, não esperava ver mais turistas, mas quando parte olho em redor e vejo outra pessoa, metemos conversa, simpatizamos e passamos o dia juntos. Chama-se Felix, é inglês, super fã das "last minute calls" - á pala disso conhece grande parte de Africa, é design de interiores e jardins em Londres, e é um fixe :-)


Num das vilas berberes que mais gostei. Tanaghmelt. Segui uns putos da escola e vários grupos de mulheres pelos trilhos depois da Cascade d'Ouzoud e fui dar a esta belissima vila. Um puto convidou-me a dormir em casa dele com a sua familia e aceitei :)









"My pupils still remember the greatest time, though short, we had together and the fruitful discussions we had about our two respective cultures "



































































































Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic

    Your IP address will be recorded 

  • 16 comments